sexta-feira, 27 de junho de 2008

Pula fogueira Iaiá!!

Vinho quente, quentão, licor, arroz doce, canjica, pé de moleque. Esses eram os atrativos, não os principais, mas nem por isso menos importantes para irmos na Igreja De São Judas no mês de junho. Era o único mês que eu ia lá...ahahahha
A tradicional Festa Junina da Igreja de São Judas. Íamos na de São José também, a igrejinha, mas não tinha como não ir à de São Judas.
Era uma festa deliciosa, fechavam a avenida. Você encontrava todo mundo. Gente que você não via há um tempo, com certeza, encontraria lá. Íamos a pé. Em bandos. Nunca mesnos do que 05 pessoas no grupo. Era uma farra só. Deliciosa a festa, as brincadeiras da prisão, "que raiva dava ficar presa lá"!!!! E o Correio Elegante? Era uma tiração de sarro, aprontávamos cada uma, com casais que nunca se formaram.

E hoje começa o último fim de semana do mês de junho. E não acontece mais a festa. A violência das últimas forçaram a comunidade a acabar com a festa! Uma pena!!!

5 comentários:

Dani disse...

OI Cafeína..e pura ainda!!!
Hahahaha
Amiga da Intense e da Mysterious..deve ser gente boa..e bacana.
Nem me lembrava que música tinha colocado no meu post...hahahaha
Obrigada pela visita e pelo elogio, bem vindo..pois dá uma força em tempo de crise de criatividade.
Apareça!
beijos
Dani faxina

Marcelo Martins disse...

AMO essa época de festas juninas.
Isso me lembra infância. E a minha infância foi maravilhosa.
Adoro essas festas, são tão lúdicas e ocorrem no frio e eu AMO frio também,rs.

Beijinhos

Fee disse...

eu adooro esse mês, as festas, os doces, as pessoas dançando quadrilha.. tuudo!

( e o blog! )


beeeeeijo

.Intense. disse...

Deve ter dado uma puta saudade né? Há 3 anos não vou em nenhuma (nenhuminha) festa junina. Aqui nunca tem nenhuma que preste. E, te falo, sinto saudades mesmo era das comidinhas...na minha infância, morei num pedacinho onde os donos de um supermercado organizavam a vizinhança, fechavam uma rua, cada um levava uma coisa, e faziamos uma super festa, com fogueira e quadrilha...era o máximo. Pq não tinha violência, não faltava comida, tinha música, todo mundo conhecia todo mundo...eu não sei quando, a festa parou de ser feita. E desde então, mesmo indo em outras, nenhuma me parece boa. Bons tempos...

;*

Osimar Medeiros disse...

Não existe tocar um foda-se pro banzo. O banzo não é um fricote, é uma condição física, igual a gripe.

Quando se está gripado não se toca um foda-se na gripe, certo ?

Toma-se remédio.

É a mesma coisa com o banzo.

Já o chocolate...fica por sua conta, gulosa. rsrsrsrsrs