domingo, 8 de junho de 2008

Medrosa


Eu sempre fui uma pessoa medrosa. Sempre, desde pequenininha. E medrosa não no sentido aventureiro da palavra, pq de aventuras, de correr aqueles riscos tipo altura, velocidade e afins, sempre gostei.
Mas eu tenho medo de sofrer. Eu tenho medo de não dar certo. Eu tenho medo de decepcionar.
Uma amiga minha uma vez disse que não era medo, era covardia. Que eu nunca queria dar a cara a tapa. Mas não é covardia. É medo.
Tá bom, o mundo não é cor de rosa, já sei e prefiro a cor preta, mas é que a idéia de sofrer, de perder, de não ter, me assusta.

Eu não morei com meu pai biológico. E eu morria de medo de descobrir o motivo dele não me querer. Eu cresci com essa idéia de rejeição. Daí eu pensei. Se ele não me quis, também não vou gostar de ninguém.
Mas eu cresci e tenho MUITAS pessoas que gostam de mim e conquisto fácil as pessoas, amigos, pais de amigos, irmãos de amigos.

Mas acho que ficou um trauma, ficou um medo!

3 comentários:

.Intense. disse...

Eu gosto mto de vc...

;)


...e acho que vc nem precisa ter medo...a gente sofre é de todo jeito....

;)

Osimar Medeiros disse...

Eu também gosto muito de ti. :)

A intense falou com a razão aí, com medo ou sem medo, a gente se fode de todo jeito. rsrss.

Beijuca !

Better MAN disse...

Medo não, não vale à pena. Como eles falaram aí em cima. Ter medo não evita nada e ainda te priva de um monte de sensações maravilhosas.

Antes sofrer porque deu errado do que não tentar, né?

Beijo com capuccino.
BM.