sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

o poeta esta vivo!

17 anos de vida
Eu tô perdido
Do joelho até o umbigo
Tudo é perigo

Resolve logo
Ou transa ou sai de cima
Mas não me olha assim
Mas não me ri assim
Que eu piro

Arranjo emprego
Monto apartamento
Te levo em lua-de-mel
Pra onde você quiser

Só, brotinho, não me obrigue
A usar cinismo
17 anos de vida
Eu também tive
Ah eu tô perdido

2 comentários:

Mysterious ways disse...

mandou bem ! Adorei o post com sua contribuição lá no Osi. !

.Intense. disse...

Adoreeeeeeeeeeeeeeeei seu post no blog do Osi!

comentei com ele a filosofia de um palestrante esses dias, que achei o máximo: segue a linha do mulher-quando-quer-dar-ninguém-segura.

Que o dia que a mulher invoca que quer dar, ela se arruma, sai pra noite, e dá. Não tem jeito, ela sempre consegue.

Já o homem...as vezes, quando consegue, já enxeu o saco de alguma até convencê-la...hahahah...

Lembrei disso qdo li.
E te falo: eu dou, e dou pq gosto, e não é pouco.


=p

;*